CONFÚCIO DIZ QUE NÃO RENUNCIA E NEM SAI AO SENADO, MAS PODE SER BLEFE

confuciomouraandredusek

O governador Confúcio Moura (MDB) vai desistir da candidatura ao Senado e fica no comando do Estado até o fim de seu mandato. A informação, plantada por pessoas ligadas ao Chefe da Casa Civil Emerson Castro começou a circular neste sábado e foi confirmada, extra-oficialmente pelo governador a alguns aliados, como o senadorValdir Raupp e lideranças do MDB.

O governador, ainda segundo fontes extra-oficiais, deve convocar uma coletiva na segunda-feira para confirmar sua desistência, que teria ocorrido em função de uma precipitação por parte do vice-governador, Daniel Pereira (PSB) que trocou o comando da segurança pública antes do combinado, deixando o deputado Maurão de Carvalho em uma situação complicada.

Daniel Pereira, que está em Brasília para o encontro nacional do PSB, já imaginava que isso pudesse acontecer. Ainda pela manhã, em conversa com PAINEL POLÍTICO, ao ser questionado sobre a cerimônia de posse que estava prevista para o próximo dia 12, Pereira declarou, “pode ser que não aconteça, aquela máxima ‘há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha vossa vã filosofia’ pode ser aplicada nesse caso”, anunciou.

Mas, a desistência de Confúcio, se confirmada de fato, nada tem a ver com a troca de comando da segurança pública, e sim à pressão que vem sendo exercida por Maurão de Carvalho, que desde o início da semana resolveu tomar as rédeas de sua candidatura e apertou Confúcio. Maurão mandou recado, e o governador entendeu bem. Na noite da última sexta-feira, Maurão ligou para o deputado estadual Laerte Gomes, atual líder do governo e pediu que ele renunciasse à função, “a situação vai complicar e o desgaste para você será ruim”, disse Maurão a Laerte.

O parlamentar se referia a autorização de abertura para três CPIs contra o governo, incluindo o famigerado pagamento para uma construtora através de uma negociação altamente suspeita, feita pela justiça arbitral no valor de R$ 30 milhões.

Além da pressão dos deputados, Confúcio também vem sendo apertado por velhos companheiros do MDB, que não estavam aceitando os prejuízos causados à candidatura de Valdir Raupp, aliado de primeira hora de Confúcio desde sempre.

A se confirmar a desistência, Confúcio permanece no cargo até o fim de seu mandato, apoiando, mesmo que contragosto, a candidatura de Maurão de Carvalho.

Porém, Confúcio também pode estar ganhando tempo precioso, acalmando Maurão e criando factóides. A certeza mesmo só em abril, quando encerrar o prazo para renúncia. Até lá, como disse Daniel Pereira, “pode ter muita coisa entre o céu e a terra”.

Daniel Pereira não foi comunicado da decisão de Confúcio e diz “estar preparado para o que vier”

O vice-governador Daniel Pereira (PSB) que estava em Brasília na manhã deste sábado para o encontro nacional de seu partido foi pego de surpresa com a informação que Confúcio Moura pretende continuar no cargo e não ser candidato ao senado.

Em entrevista ao radialista Fábio Camilo em Brasília, Daniel Pereira disse que agora, após a confirmação de que o governador Confúcio Moura (MDB) não vai renunciar, está livre para escolher a disputar qualquer cargo político, de deputado estadual até mesmo a governador.

AUTOR: por Alan Alex/Painelpolitico

DA REDAÇÃO DO HOJERONDONIA.COM

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

E-mail: hojerondonia@gmail.com / wilmergborges@hotmail.com